Cristina Amaro
Está a ler

Projeto pela autoestima: Dizer não à manipulação digital!

3
As pessoas

Projeto pela autoestima: Dizer não à manipulação digital!

Projeto pela autoestima: Dizer não à manipulação digital!

Por Alexandra Delgado Figueiredo, communication manager na The Empower Brands House

Todos nós temos pessoas que admiramos e exemplos que gostamos de seguir porque nos inspiram, seja de que forma for. E não há mal nenhum nisso. Pelo contrário. 

Hoje em dia, as referências das gerações mais novas são, em grande parte, os influenciadores digitais, cujos comportamentos e valores impactam bastante os mais jovens. Mais do que influenciarem as escolhas e aquilo que consumimos, os também denominados criadores de conteúdo passaram a ter uma responsabilidade social muito maior. E ainda bem. Para o bem de todos as redes sociais devem ser isso mesmo: um espaço mais positivo, inclusivo e diversificado.

A pensar nisso a Dove enviou uma carta a algumas das principais agências de influenciadores nacionais. Consiste num apelo para que estes sejam mais autênticos nos conteúdos que partilham. Esta iniciativa faz parte de uma campanha global da marca, que promove a beleza sem manipulação digital nas redes, em mais de 30 países.

Após lançar a campanha intitulada “Reverse Selfie” (em português, Selfie Invertida), que pretende sensibilizar as pessoas para a forma como a manipulação digital está a fragilizar a autoestima dos jovens, a marca dirige-se agora diretamente às agências de marketing de influência. O objetivo é um: chegar ao maior número possível de influenciadores digitais com a mensagem de que têm o papel fundamental de contribuir para que as redes sociais sejam cada vez mais representativas da beleza real.

O estudo Detoxify Beautyconduzido pela Dove em 10 países no âmbito desta campanha, incluindo em Portugal, concluiu o seguinte:

– 62% das raparigas entre os 10 e os 17 anos gostaria que as redes sociais correspondessem mais à vida real;

– Quase 2/3 afirmam que se as fotografias publicadas nas redes sociais fossem mais representativas da beleza feminina isso contribuiria para que fossem mais confiantes;

– No que respeita aos influenciadores digitais, 59% das jovens desejava que estes representassem verdadeiramente diferentes tipos de beleza nas redes sociais;

– 30% das raparigas com baixa autoestima sente-se menos bonita sempre que vê fotografias de figuras públicas na Internet.


Dados alarmantes e que revelam a sociedade que estamos a criar. E foi precisamente para terminar com esta ideia de que o perfeito “é o que se pretende” que a Dove tomou esta iniciativa de fazer circular esta carta tão necessária de um testemunho real de uma jovem de 16 anos. Ora veja!

Projeto pela autoestima: Dizer não à manipulação digital!

Deixe uma resposta

Follow @ Instagram

Siga-me!