Cristina Amaro
Está a ler

Plástico, por favor, transforma-te!

0
A vida

Plástico, por favor, transforma-te!

Plástico, por favor, transforma-te!

Mesmo que seja um projeto piloto. Mesmo que seja apenas num único supermercado. Mesmo que seja um teste. O que importa é que começam a existir medidas por parte das marcas que visam promover a economia circular e que oferecem opções mais sustentáveis aos clientes. A Auchan anunciou que o Jumbo de Cascais passa a ter sacos reutilizáveis que podem substituir os que usamos para colocar frutas e legumes quando vamos às compras.

Num olhar rápido ao tema, apesar de este ser um assunto que requer tempo para se analisar, fico feliz por saber que nos começamos todos a preocupar com a sustentabilidade do planeta onde vivemos. Fico feliz com esta medida da Auchan, como fiquei há dias no NOS Alive, quando observei a mudança de comportamentos dos festivaleiros. Poucos vi a colocar beatas no chão. Poucos vi a não respeitar as medidas que convidavam a reciclar e a respeitar mais o ambiente.

É um facto: o consumo de plástico excessivo é um dos maiores inimigos do planeta. Tem sido o assunto do dia. Repetidas vezes. Há muito tempo. Como podemos, depois da informação que fomos recebendo, ficar indiferentes a isto? A divulgação de imagens, nomeadamente a dos rios de plástico, chocou o mundo. Todos nós – fosse nas redes sociais, nas notícias, em conversas entre amigos ou familiares ou em qualquer outro contexto – ouvimos falar desta onda mundial contra o plástico.

Eu própria, em casa, substituí tudo o que consegui por vidro ou por outros materiais que me permitem reduzir a entrada de plástico na minha vida. Não é fácil. Todos sabemos. Anular de vez é quase utópico. Mas se todos fizermos a nossa parte tenho a certeza que vamos conseguir grandes resultados! Aos poucos. Pouco a pouco… E isso depende de cada um de nós mas também de quem nos rodeia. E as marcas têm aqui um papel muito importante a desempenhar no processo.

Quando há umas semanas estive na Croácia fui a um supermercado comprar um protetor solar e assisti a uma realidade local que pergunto porque não se implementa cá: a recolha de garrafas e garrafões de plástico. O cliente entrega a embalagem e a loja dá um vale de desconto em compras. Um incentivo que leva os clientes à loja com “quilos de embalagens” de plástico que irão para reciclagem. Uma medida que até pode parecer simples mas que terá seguramente a sua complexidade com stocks e armazenagens. No entanto, estou certa de que, com bom senso, se consegue contornar em prol de um planeta mais sustentável para os nossos filhos.

Pergunto eu: será complicado implementar cá esta medida? Não haverá mais projetos-piloto possíveis de implementar?

Queridas marcas, precisamos de vocês para nos ajudarmos mutuamente a criar um futuro melhor. Podemos todos começar por pequenos gestos, como este do Jumbo de Cascais. O que importa é que se comece. O que importa é que se continue a provocar a mudança, sob pena de continuarmos a “embalar” o nosso futuro de forma errada.

Eu não quero plástico na minha vida e por isso estou disponível para adoptar formas de o transformar em algo que não condene o planeta. Que não condene a nossa vida. Poderá pensar que estou a pedir o impossível. Mas eu sou daquelas que procura o sim quando o não já está garantido…

Deixe uma resposta

Follow @ Instagram

Siga-me!