Cristina Amaro
Está a ler

O consumidor do futuro

2
As marcas

O consumidor do futuro

O consumidor do futuro

Por Cristina Amaro

Ir à MICAM convida não só a percorrer os stands das marcas de calçado presentes como também a sentar para ver e ouvir falar das tendências de mercado. Um dos temas que subiram ao palco da MICAM X foi o do consumidor do futuro.

Amy Hendry, especialista em tendências da consultora WGSN, é uma contadora de histórias e uma criativa que ajuda os seus clientes a criarem o futuro das suas marcas. Levou de Londres para Milão a sua experiência de vários anos e foi ela que me prendeu na tarde do primeiro dia de feira.

Uma das tendências que Amy apontou foi a de se falar cada vez mais em quatro dias de trabalho. E sugeriu, de forma prática, às marcas presentes para apenas falarem com os seus consumidores entre segunda-feira à tarde e sexta-feira de manhã.  “Não vale a pena tentarem falar com os vossos clientes na segunda de manhã nem na sexta de tarde, porque eles não vos vão ouvir”, disse, deixando a ideia de que a tendência é para trabalharmos menos dias por semana, tamanho é o cansaço que hoje se vive num mundo que muda a todo o momento.

Esta intensidade da vida cria hoje consumidores com novas necessidades a que devem corresponder novos negócios. Sustentabilidade, relaxamento e slow life são mensagens que vão agradar ao consumidor do futuro, ele próprio mais informado e mais exigente com o bem estar físico, psíquico e emocional e também mais crítico em relação às políticas de sustentabilidade ambiental.

A inclusão também é um tema a ser trazido para a comunicação das marcas que, para continuarem a ter a atenção e preferência do consumidor, têm de ser mais inclusivas, valorizarem os mais velhos e contribuírem para um planeta mais verde.

O consumidor do futuro

Amy traz à sua apresentação as imagens de cidades atormentadas pelo terrorismo, as máscaras de proteção de vírus no rosto e as mudanças climáticas que estão a provocar alterações nas cidades e regiões de todo o mundo. A projeção em telas gigantes criou-nos um nó na garganta e fez-nos pensar no próprio coronavírus, que diariamente nos fazia questionar quem tínhamos ao nosso lado nas filas e que este ano levou a uma diminuição de 20% nas entradas da MICAM.

Como ficar indiferente e não pensar que a atualidade em que vivemos nos vai alterar comportamentos de consumo nos próximos tempos?

Perante estas ameaças constantes é normal que o consumidor queira no futuro ouvir falar de esperança e receber mensagens positivas. As marcas devem, por isso, oferecer inspiração e experiências que os acalmem. Criar espaços abertos, onde se respire – sugeriu Amy – é uma boa dica para quem precisa de ideias para os seus negócios. E deixou outra: quem vive em lugares pequenos pode hoje torná-los globais fazendo com que o micro se torne macro e o macro seja micro. Quem disse que numa aldeia do interior não pode nascer um projeto de sucesso mundial? Com o digital e o fenómeno das redes sociais o que tem de se garantir é a genuinidade das histórias que se contam celebrando as nuances locais.

O consumidor do futuro

Devolver à sociedade o que a sociedade nos dá, com cada vez maior respeito, é um caminho a seguir para conquistar este novo consumidor.

O “efeito GRETA” vai continuar a estar na ordem do dia, uma vez que ele teve um impacto gigante nos mais novos e as marcas devem incorporar essa comunicação nas suas narrativas. A reciclagem é obrigatória e as mensagens, que incorporam crescimento económico em vez de preocupações com a sustentabilidade, são proibidas.

É preciso falar de união, de conhecimento, de empresas socialmente responsáveis e de economia circular. Temas que me deixam feliz porque são eles que nos guiam na nossa Empower Brands Community, onde o conhecimento está na base do nosso modelo de sustentabilidade. Criar conhecimento para termos pessoas com mais capacidade e partilhar esse conhecimento, para que as marcas e as empresas sejam mais fortes e robustas está na génese do nosso projeto.

O consumidor do futuro

A realidade de hoje é muito diferente. Ainda será mais amanhã. Pelo que saber quais as tendências de quem dá continuidade aos negócios das empresas é vital para o seu sucesso. Eu espero que os nossos conteúdos continuem a ser-vos úteis e os nossos projetos a fazerem a diferença na vossa vida. É para isso que trabalhamos todos os dias. Para continuar a unir “quem sabe” a “quem quer saber”, “quem faz bem” a “quem quer fazer” e “quem está longe” a “quem está mais perto”.

Foi bom saber que Amy também defende que o futuro está na comunidade.

Se ainda não subscreveu a newsletter da Empower Brands Community e/ou ainda não faz parte deste projeto, sugiro que o faça para que possa continuar a ter acesso privilegiado a algo único e diferenciador que está a nascer e a pensar num futuro mais sustentável para as pessoas, as marcas e as empresas. É isso que nos move.

Link newsletter EBC: https://www.ebc-community.pt/newsletter/

Deixe uma resposta

Follow @ Instagram

Siga-me!