Cristina Amaro
Está a ler

Cuidar de mim

0
A vida

Cuidar de mim

14 de setembro. Nunca, até 2018, este dia teve um significado especial para mim. Era apenas um dia de calendário. Igual a tantos outros. Hoje, dia em que publico estas linhas, assumo o meu compromisso convosco que estou a cuidar de mim e convido-vos a colocarem, também nos vossos calendários, um dia que se torne numa data de especial. A data em que cuidam de vocês.

Nunca fui menina de ginásios. Mas sempre fui menina de movimento. Não tivesse eu uma energia que me desperta tantas vezes antes de o sol nascer… Talvez por isso o meu corpo guarde energia a mais. O que não tem propriamente ajudado a encontrar o equilíbrio. Do corpo e da mente. Resultado? Físico em défice.

Apareceram-me, há uns meses, umas dores desconhecidas. Primeiro, deixaram-me limitada. Depois, incapacitada. Na vida louca que tenho, com reuniões permanentes, gravações semanais, viagens e aeroportos, era de tudo menos disso que precisava! Arrastei-me. Fui estando atenta, mas as coisas não serenavam por si. Só mesmo com medicação forte me mantive em pé. Mas não era isso que queria.

Sou demasiado nova para andar dependente de químicos. Foi de tal ordem complicado, que no início deste ano não conseguia sequer sentar-me na minha cadeira. Contorcia-me. Irritava-me. Não dormia. Entrei num círculo vicioso que tinha de ser interrompido. Procurei um médico especialista em anca e fui para casa com dois novos nomes no dicionário da minha saúde: bursite e trocanterite. Que medo!!! 

Não gosto de ouvir :“Tem de aprender a viver com isso.” Prefiro um “se investir na prevenção, pode voltar a ter mais qualidade de vida”. Fui primeiro para a fisioterapia e depois para o ginásio.

Tenho tido sempre sorte em encontrar as pessoas certas nos momentos certos e quer na Nova Physio quer no Clube VII, cruzaram-se comigo pessoas fantásticas! Daquelas que nem sempre nos dizem o que queremos ouvir mas sim o que precisamos de ouvir… Sim, por vezes dói, mas sempre que assim é, é para crescer. Por isso, o melhor é aceitar com um sorriso e fazer o que nos recomendam.

Cuidar de mim é terapia que faço e interrompo. Muitas vezes porque ponho tudo e todos à minha frente. Mas, tal como no avião para salvarmos os outros temos primeiro de pôr a máscara em nós, também nesta nova fase sinto que passei a estar em primeiro lugar. Não é egoísmo. É amor.

A data de 14 de setembro fica agora no meu calendário como a data em que assumi um compromisso de amor comigo mesma. O de cuidar mais do meu corpo sem nunca esquecer a minha mente… Comecei hoje uma nova fase. Prometo-me!

Deixe uma resposta

Follow @ Instagram

Siga-me!