Cristina Amaro
Está a ler

Autocontrolo

0
A vida

Autocontrolo

Autocontrolo

A alimentação, bem com os hábitos de vida saudáveis, ajudam em muito naquilo é a manutenção de um corpo saudável. E a nossa mente não é exceção. Para conseguirmos uma mente sã e, consequentemente, desenvolvermos o autocontrolo é imprescindível estimularmos o nosso cérebro e enchê-lo de pensamentos bons, que nos transmitam coisas boas. Não é fácil, mas é possível.

A energia certa

O autocontrolo consiste na capacidade que cada um de nós tem em gastar o tempo e energia em coisas boas e produtivas. Por isso, é muito importante sabermos canalizar a nossa energia. Escolher onde gastar a energia e em que momentos. Não percam o vosso tempo com coisas inúteis. Lembrem-se de que ele é precioso.

Quando nos focamos em coisas que não nos trazem nada de bom estamos a deixar para segundo plano as outras coisas que verdadeiramente importam. Fará sentido viver assim?

Conhecermo-nos

Conhecermo-nos a nós próprios é meio caminho andado neste exercício de autocontrolo mental. Saber quais são as minhas características boas e menos boas, o meu tipo de personalidade, os meus limites, aquilo em que acredito. Tudo isto deve ser pensado/exercitado todos os dias. Só assim conseguiremos perceber qual o caminho. Se vale a pena ou não. Mas – e sobretudo – para onde queremos ir e com que propósito.

Metas

Saber que é “àquele lugar” (não interessa qual) onde quero chegar é muito importante. Desafiarmo-nos a nós próprios é o maior dos desafios e também o que nos traz a maior das recompensas: a confiança. A confiança pode mudar por completo a nossa vida, em todos os momentos da nossa existência. A confiança ganha-se no processo de crescimento. Que é como quem diz, todos os dias. E para crescer temos de aprender. Para aprender precisamos de ter um cérebro forte. Lembrem-se: é ele que comanda tudo. Ao definirmos bem os nossos objetivos obrigamo-nos a ser mais fortes, a treinar a persistência e, claro está, os nossos limites.

Aprender a dizer não

Não é possível ajudarmos sempre tudo e todos, fazermos tudo e mais alguma coisa e estarmos em todos os lugares onde queremos estar. É humanamente impossível. Temos de ter esta frase em mente, todas as vezes que nos culpabilizarmos por não termos estado presentes naquele momento importante ou naquele dia em que surgiu um imprevisto. Aprender a estabelecer prioridades é fundamental. E isso sim é prioritário.

Trabalhar as emoções

Ter consciência das nossas emoções e da forma como elas afetam o nosso dia, a nossa vida, é também muito importante. Razão e emoção têm de estar em equilíbrio. Só assim é possível resolvermos os nossos problemas de forma tranquila e, acima de tudo, saudável. Perguntarmos a nós mesmo o porquê de reagirmos de determinada forma, em cada momento, pode ser a resposta de que precisamos para seguir em frente, nas mais diversas circunstâncias da vida.

Lembrem-se de que a vida é boa quando saboreada. E para a saborearmos só dá mesmo ser for devagar. A vida merece. E vocês mais ainda.

Deixe uma resposta

Follow @ Instagram

Siga-me!