APRENDA uma coisa nova com cada nova pessoa que conhecer

Image v1
abril
01
Conhecer os convidados

Por Luciane Bemfica

Na semana passada, depois de atender quatro clientes num dia, refleti sobre a riqueza das histórias que têm passado por mim. Que sorte gostar de ouvir trajetórias de vida e poder ajudar pessoas que percebem a necessidade de investir em si para se destacarem no ambiente onde vivem, seja em Portugal ou pertinho da minha casa, no Sul do Brasil.

Foi inevitável traçar um paralelo entre a minha atividade anterior e a atual. Em 20 anos de jornalismo, nunca tive rotina. Cada dia convivi com uma história diferente. Conheci e interagi com milhares de pessoas e as suas histórias de vida.

Mudei a minha carreira, mas a minha conexão com as pessoas mantém-se.

Hoje consigo conhecer pessoas de diferentes sítios, com os mais diferentes perfis profissionais, estágios de carreira e desejos distintos. Porém, todas elas têm o mesmo propósito: querem aproveitar o melhor de si, usar os seus talentos e diferenças como vantagens competitivas. Querem visibilidade e referência.

Num mundo que por vezes parece tão igual, pouca gente percebe que o diferente é a moeda de ouro do jogo. E todos nós temos diferenças, embora muitas vezes tendamos a nos esconder em nome do conforto e da estabilidade.

Eu faço um exercício diário de tentar aprender alguma coisa nova com cada pessoa nova que conheço. É como uma via de duas mãos. Eu ofereço um serviço de consultoria que é único, porque reúne o conteúdo que pesquisei, estudei, testei, montei e apliquei, esse conteúdo tem muito de mim, do meu jeito de trabalhar, da minha bagagem pessoal. E, ao mesmo tempo, aprendo com o conhecimento e as experiências das pessoas que fazem negócios comigo.

Jurei que nunca mais na minha vida vou trocar o meu tempo de trabalho por dinheiro. A vida fica muito mais rica, tem muito mais valor agregado, quando aproveitamos a nossa teia de contactos para ir além dos negócios. Mais do que fazer da minha atividade um negócio sustentável, aprendi sobre investimentos financeiros, vinhos, decoração, tratamentos estéticos, joalharia, e por aí fora.

O propósito deste texto é mostrar que é possível aprender mais do que está descrito no escopo da sua atividade profissional. Depende de cada um. Vale lembrar que: emprego não é sinónimo de trabalho, e trabalho pode ir além da função. A escolha é de cada um.