A mãe da minha filha do CORAÇÃO

Image v1
fevereiro
07
Histórias sobre mim

Por Cristina Amaro

Não chegaram a crescer muito as barriguinhas das duas vezes que fiquei grávida. Sempre quis ser mãe mas a vida não quis. Fiz o meu processo de aceitação. Foi difícil. Mas passou. E passaram também os anos. Diz-se que o tempo ajuda a curar. E cura.

Hoje vivo muito bem com o facto de não ter tido filhos biológicos. Já aqui o disse... Tenho outros! E tenho uma filha especial, a minha filha do coração. A filha do primeiro casamento do meu marido que ocupa o meu coração.

A vida não me deu o dom de ser mãe biológica mas deu-me a bênção de ter uma família particular. Sei que pouco comum. Para além de ter uma filha tenho o privilégio de ter uma amizade profunda e muito bonita com a mãe. Com a sua mãe biológica. É sobre ela, esta história...

Image

Estava em Paris, em trabalho, quando a Alexandra fez anos. Fiquei triste por não poder juntar-me à festa dos 45. Não pelo número redondo mas porque, desde que perdeu o pai e a irmã, o dia de aniversário se tornou num momento mais difícil.

Era o segundo ano que o vazio se iria impor quando soprasse as velas. Também já não tenho o meu pai. Também perdi um irmão... Sei bem que o apoio das pessoas mais importantes para nós, que completam o nosso círculo mais intimista, nos ajuda a ficar mais fortes. Fê-lo com dor, mas reergueu-se bem! Como sempre o faz.

Conheci a Alex na faculdade. Já lá vão mais de 20 anos...tantos que já me custa fazer a conta! Sempre olhei para ela como uma inspiração pela sua determinação. Passava um ar confiante. Por vezes um tanto petulante...não fosse a veterana e eu a caloira (sentia eu na altura). Mas dava provas de profissional competente e por isso respeitava-a.

Mais tarde vim a perceber que não era nada disso. Que havia uma Alex dentro da Alexandra Pereira... A magia da vida aproximou-nos. E abençoou-nos.

Image

Ela é hoje diretora geral da DDB. Uma mulher de sucesso. Uma profissional respeitada. Mas na minha vida é a minha amiga Alex. A mãe da minha filha do coração. A pessoa que entra em minha casa sem ninguém ficar incomodado pelo facto de ter sido a primeira esposa do meu marido. Que sorte a nossa!! De todos nós.

Quando voltei de Paris disse-lhe que tinha um presente para lhe dar: o meu tempo. Num lugar especial. Ela sabe bem o que isso significa. E na hora respondeu: não posso ter melhor presente!

Na verdade, há lá melhor presente do que termos tempo para estar com quem gostamos num local que nos faça sentir bem? Onde se beba um bom vinho, onde se saboreie um excelente prato e onde nos possamos deixar levar pelo pecado da gula na hora da sobremesa? Na nossa idade, não! Não há presente mais valioso do que o tempo!

Para nós duas Tempo escreve-se com letra maiúscula e pronuncia-se a saber a luxo!

Fui busca-la a casa. Disse-lhe para ir bonita que íamos a um lugar requintado. Foi surpresa a escolha do SEEN. Já na Avenida da Liberdade ela desconfiou e disse: “Não me digas que vamos ao SEEN!? Que bom, queria tanto conhecer”!!

Não lhe disse que sim nem que não, mas ao entrar no Tivoli Avenida Liberdade não tinha mais como esconder. Sorrimos, cúmplices. Já esperávamos que fosse um bom momento. Um momento entre amigas que têm uma relação peculiar.

Não foi somente um bom momento. Foi memorável. Foi um presente de aniversário que me apetece repetir. Para dar e receber. Fomos tão acarinhadas que é impossível nos esquecermos das gargalhadas que demos, das confidencias que partilhámos, das emoções que deixámos saltar aos olhos a falar de coisas que a vida nos traz e tanto nos tocam.

O ambiente intimista deste lugar, que é mais do que um restaurante, permite isso mesmo. Estreitar relações. Abrir o coração.

Image
Image

Entre partilha de pratos e sabores que nos fazem viajar entre Portugal e o Brasil, como só o Chef Olivier nos consegue oferecer, e um vinho tinto alentejano para brindar à vida, eis que celebrámos de forma especial um aniversário igualmente especial! Brindámos à vida e ao facto de “nos termos na vida!!

Image
Image
Image
Image

Era uma data particular para a Alexandra. E para mim também. E foi um momento que não vamos esquecer. Até porque o Tiago, a quem pedimos para ficar na nossa foto pela simpatia que nos ofereceu desde a nossa chegada, fez de tudo para que assim fosse. Agradecemos-lhe, mas espero que ele veja este texto para perceber que um dia voltamos e que o queremos connosco, outra vez!

Os lugares também são as pessoas e o SEEN vale por tudo: pela localização, com uma vista privilegiada e inspiradora. Pela comida deliciosa (não podem perder a sopa de peixe e as presas de porco preto que o chef recomenda...), pelo ambiente cool e trendy que oferece na minha cidade (quando voltar a São Paulo, prometo comparar com o nosso;-), pela decoração que me faz perder de amores pelo veludo verde dos sofás! Adoro. E vale também pelas pessoas.

Image
Image

Com tudo isto, só podíamos ter uma experiência memorável de uma marca de eleição. O conceito trazido do Brasil assenta que nem uma luva à nossa Lisboa e fica-nos tão bem um restaurante assim.... Para nós, foi mais do que um lugar onde fomos jantar. Foi um ponto de encontro de sabores e emoções. Foi um encontro de duas pessoas que têm muito orgulho na sua relação e que devem, publicamente, dizer que as vidas passadas não têm de condicionar as futuras nem que os preconceitos valem mais do que os sentimentos.

Apaixonam-me as pessoas que gostam de ser diferentes. Tanto quanto os lugares que são isso mesmo. Parabéns aos dois, Alex e SEEN, e obrigada por ficarem tão bem na minha vida... Quero voltar.

Sentir a vida