Cristina Amaro
Está a ler

3 dicas de liderança (e amor)

4
A vida

3 dicas de liderança (e amor)

3 dicas de liderança (e amor)

Por Cristina Amaro e Alexandra Delgado Figueiredo

Há quem pense que a melhor posição é a de um líder. Creio que quem pensa assim não sabe a verdadeira definição de liderança. Porque liderar é muito mais do que mandar. É mostrar como se faz, dar o exemplo, confiar. É dar oportunidades, o benefício da dúvida, deixar errar. É perceber que não se está acima de ninguém. E este é provavelmente o maior desafio de todos. Porque liderar não é mandar o outro desempenhar uma determinada função. É dar-lhe as ferramentas e o melhor caminho (ou pelo menos aquele que acredita ser o melhor) para desempenhar o seu papel. É mostrar que estamos todos para o mesmo e que ninguém sabe mais que ninguém porque aprendemos sempre uns com os outros, independentemente da idade, formação ou cargo a desempenhar. 

Acredito profundamente que para se ser um bom líder tem de se ser um bom ser humano. Por mais que me digam que a vida profissional nem sempre se liga à vida pessoal, eu não consigo conceber essa ideia. Talvez porque todo o amor que recebo distribuo por tudo o que é importante na minha vida: pela minha família, pelos meus amigos, pelas pessoas da minha empresa e pelos meu projetos pessoais e profissionais. Não consigo conceber a ideia de liderar sem amar. Só se lidera bem uma coisa que se ama muito. É assim ou não é? Eu, pelo menos, acredito que sim. 

Por isso, hoje deixo-vos apenas 3 dicas que podem fazer toda a diferença na vossa vida. Porque a liderança não tem de ser só no trabalho. Pode estar nas mais pequenas coisas da vida. 


Confiança

A maior prova de reconhecimento para qualquer pessoa que pretende ser bem sucedida é a confiança. Prova essa que vem com o extra de colocar pressão para viver à altura desse reconhecimento. Dizermos a um colaborador “eu confio em ti” pode ser meio caminho andado para se sentir motivado, para o seu sucesso e, consequentemente, o da empresa.

Definir valores

Definir e promover um conjunto de valores em que a empresa acredita é fundamental. Um colaborador tem de saber defender sempre a sua empresa. Para isso, tem de saber em que é que ela acredita. 

As pessoas comportam-se de acordo com os valores vividos na organização. Desta forma, garantir na organização se vivem os “valores certos” pode ser a base de tudo. Ao não serem definidos esses valores podemos correr o risco de cada pessoa seguir os seus valores, que, por sua vez, podem ser aqueles que a empresa não reconhece como “seus”.

O exemplo

Este vem por último, mas podia perfeitamente ser o primeiro, sobretudo porque pode ser a base de muita coisa. Se um líder quer ser respeitado tem de dar o exemplo. Se queremos que os outros façam o que achamos ser o certo temos de mostrar que o fazemos para que acreditem que, de facto, esse é o caminho. 

E lembrem-se: tudo o que façam, na dúvida,  façam com amor. Porque o amor é sempre mas sempre o segredo.

Deixe uma resposta

Follow @ Instagram

Siga-me!